#TerçaGringa: o folk lo-fi e experimental do Coelho Radioactivo

por - 11:06

Coelho Radioactivo


O Coelho Radioactivo é um cara. Apenas uma pessoa lá de Porto (Portugal) que dentro de seu quarto experimenta com eletrônicos, letras, voz e claro, violão. Tudo no característico clima lo-fi desse tipo de projeto.


Ao longo de sua carreira, João Sousa (sim, esse é o nome do cara) lançou quatro registros: ep1 (2009), Para Adivinhos EP (2011),  Lado B (2012) e Estendal (2012) e todos eles, agora, estão para download gratuito em seu bandcamp.


O primeiro EP, que foi por onde conheci o som do Coelho Radioactivo, era basicamente uma parada mais folk e um tanto experimental, na pegada de outros projetos portugueses como Cão da Morte, B Fachada e João Coração – que cantam em seu primeiro álbum, Estendal.


Diferente dos EPs acumulados em sua carreira, em Estendal, houve uma produção um pouco maior em torno das canções, entretanto, o clima é ótimo e fiel ao quarto. É como se você gravasse tudo num microfone de caraoquê e em placa onboard, e aí resolveu comprar uma m-audio e um mic de verdade.


Ao vivo, João Sousa não paga de louco e pendura tudo no pescoço e nem toca bateria e violão ao mesmo tempo, ele é acompanhado da banda Os Plutónios, formada por Carlos Rosário (piano), Pedro Teixeira (bateria) e Ricardo Barros (baixo). Além é claro, de algumas participações, como seu eterno truta, O Cão da Morte.

Se vocês me pedissem para resumir o som, faria exatamente o que estou fazendo agora, colando um trecho dessa frase bonita em português de Portugal que retirei do site Murmurio: “As suas canções, as que não podiam ser de mais ninguém, são canções feitas de noite, para terem o peso dos dias. E gravadas de manhã, para terem a frescura da noite.”.


Eu torço muito para que vocês ignorem todo esse texto, leiam apenas este parágrafo e corram para baixar os álbuns do Coelho Radioactivo enquanto há tempo, porque até escrever esse texto, tudo que eu tinha era uma compilação de faixas em 128kbps ripadas do Myspace do artista, isso em 2010.


É engraçado como conhecemos bem pouco a música de Portugal. Prometo me esforçar um pouco mais para falar sobre os artistas citados aqui – Cão da Morte, João Coração e outros artistas. Ah, vale lembrar a todos que já falei do B Fachada nesta coluna e se quiserem ler, clique aqui. Só não vale pedir pra reupar link.



Bandcamp

Você também pode gostar

0 comentários