São Paulo Underground - Beija Flors Velho e Sujo

por - 14:08

Beija Flors Velho e Sujo

Beija Flors Velho e Sujo

São Paulo Underground

Cuneiform Records (2013)

Encontrar
Bandcamp

Se quando o São Paulo Underground teve início o que se pensava era em uma filial do Chicago Underground para o Mazurek tocar no Brasil, isso caiu por terra faz muito tempo. Outra característica da banda que se desfez com os dois últimos discos foi a conexão direta e clara que existia com o “barulho” urbano e o som do projeto. Se você não acredita nessa relação, ela esta estampada até na capa do primeiro disco do grupo Sauna: um, dois, três, de 2006. Outra coisa bastante marcante na banda é a sobreposição de sons, isso aparece de maneira mais evidente no disco The principle of intrusive relationships, lançado em 2008.


Em 2011 o grupo lançou o disco Três Cabeças Loucuras, onde se via de forma clara um “abrasileiramento” sonoro na banda (com alguns nuances de Tropicália), com presença de novos ritmos adicionados a mistura enorme, já evidenciada nos outros registros. Neste ano de 2013 o São Paulo Underground retorna, desta vez realmente trabalhando no formato de trio. Em Beija Flors Velho E Sujo, trabalho lançado em LP pela Cuneiform Records, Guilherme Granado, Mauricio Takara e Rob Mazurek juntos soam mais globais e um tanto pop.



Não que as características do grupo mudaram, mas as canções parecem feitas num contexto mais mundano e de uma digestão mais tranquila para o ouvinte, mas isso pode ter acontecido pelo fato de que acompanho a banda desde o começo. Mesmo com a presença de belas percussões tipicamente brasileiras, como em "Basilio's Crazy Wedding song". Destaque total para o ritmo torto das baterias do Takara, que se supera nesse disco, e a presença de belos pianos e órgãos em várias faixas, como "Over The Rainbow" e "Six-Handed Casio". Todo peso eletrônico dos trabalhos anteriores continuam presentes aqui, além do trompete do Mazurek continuar afiado, porém um pouco menos ácido e pendendo para o jazz mais clássico. Talvez por isso eu tenha visto este trabalho com uma característica mundana popular maior, diferente dos outros discos do grupo, onde a geográfica nacional (e paulistana) parecia mais transparente e o experimento seria o norte sonoro do projeto.


Um dos grandes destaques desse novo disco é "Evetch", segundo o release da cuneiform esta canção partiu de um tema de carnaval feito por Takara em homenagem a Ivete Sangalo, porém sonoramente a faixa passa longe de qualquer nuance repetitivo visto no axé baiano. Outro grande momento é o final do disco, "Taking Back The Sea Is No Easy Task" é uma clara homenagem ao compositor Dorival Caymmi, em que vemos o trompete de Mazza soando as notas da bela canção "Suíte do Pescador ". Interessante perceber que a transição entre as duas músicas acontece de maneira tranquila, como se todo o avanço sonoro proposto pelo SPU em seus experimentos nada mais fosse que um reencontro com um passado musical já existente em terras tupiniquins.


Um fator interessante a ser retratado aqui é o fato de que ainda não sei se esse disco funciona melhor ao vivo ou em estúdio, ouvindo direto no vinilzinho ou em MP3. Porém, uma coisa parece estar mais clara nesse novo trabalho, ele foi feito para ser tocado ao vivo! Esse é o disco do São Paulo Underground que melhor funciona em shows, pelo que tive oportunidade de ver. É incrível perceber como três pessoas conseguem soar tal qual uma orquestra, com total controle do andamento de todos os instrumentos. Talvez por ser um disco mais orgânico, ou cada vez mais os dois “beija flors” brasileiros pareçam entrosados ao velho sujo, esse trabalho soe um tanto mais fácil de ser digerido. Uma coisa é certa, eis aqui mais um belo registro que vai ecoar por muito tempo nas cabeças de quem se atrever a escuta-lo com atenção.


Se você não acredita em mim, eis 21 minutos do show de lançamento do registro ao vivo para apreciação, quando tive a oportunidade de conferir as canções do Beija Flors Velho e Sujo ao vivo no show de lançamento do mesmo no espaço Serralheria em São Paulo. Cuidado! Pedras podem voar a qualquer momento em sua direção, por isso, aprecie com moderação.


Você também pode gostar

1 comentários

  1. Lindo o som desses caras! Me apaixonei! Obrigada Diego por me mostrá-los, como eu não conhecia isso?

    ResponderExcluir