#TerçaGringa: seja contaminado pelo som da Hookworms

por - 12:11

hookworms970600

A banda é de Leeds, Inglaterra, e seus integrantes não atendem por nomes, mas por iniciais: MB (baixo), EG (bateria), MJ (vocais e órgão), SS (guitarra) e JW (guitarra). Mesmo considerando altamente provável que entre eles, a banda conheça os nomes um dos outros, essa aura bobinha de mistério dá um charme. Ok, nem precisava – e eles nem são pioneiros nisso. Também aparentemente não querem ser pioneiros em outras frentes, como a musical.


O Hookworms, nome do grupo, emula o space rock psicodélico dos anos 1960 com a mesma eficiência e assombro que, por exemplo, o The Black Angels já o fez nos anos 2000. Mas o nome dá uma boa pista do estrago que a banda pode fazer: hookworm é o nome do famoso Amarelão, a doença causada pelo parasita nojento chamado Necator americanus, ou Matador. A banda tem o nome de uma doença causada por um parasita.



Daí, você vai lá ouvir “Pearl Mystic”, o disco de estreia, de 2013, fica viciado (desde cara, com a inebriante “Away/Towards”) e entende que a música da banda é um parasita na sua mente, que gruda e alicia implacavelmente. Entre os ecos de Velvet Underground e 13th Floor Elevtors, o Hookworms te contaminou e agora você tá infectado. Ótimo.


Pearl Mystic (2013)


Texto de Fernando Augusto Lopes, o camarada fala de vários sons e assuntos bacanas no Floga-se.

Você também pode gostar

0 comentários