Os melhores discos de 2013 por Diego Albuquerque

por - 12:05

Os Melhores Discos de 2013 - Diego Albuquerque

Todo ano nós fazemos isso, e a cada ano fica mais difícil fazer isso. Resolvi então, colocar aqui alguns discos que curti (entre vários) ao longo de 2013, passando por diversos estilos, que acabam por se encontrar ao longo do percurso. Logicamente que estamos postando isso num lugar ALT, então provavelmente alguns lançamentos destes não irão se repetir por aí. Ah, também seguimos com a política de não repetir disco em nossas listas, afinal, o Brasil é enorme, devemos tentar diversificar o espaço ao máximo, não é mesmo? Segue minha lista. Ano que vem voltamos!


Graxa - Molho

Angelo Souza, popularmente conhecido pela alcunha de Graxa, teve o melhor ano musical de sua vida em 2013. Ano no qual ele lançou seu primeiro disco sério, não apenas em CD, mas em vinil também. Molho apresenta 15 faixas, todas compostas no esquema caseiro, com ajuda do computador e da acústica dos quartinhos onde foram gravadas. Tem de tudo no disco, brega, rock garageiro, o acústico romântico do violão, além de participações especiais de toda nata da música independente da cidade do Recife.


Herod - Umbra

Herod Layne era aquela banda bacana de guitarras altas e barulhentas de São Paulo. Hoje em dia o grupo se chama Herod, segue mais barulhento ainda, só que dessa vez mais determinada a expor outras influências. Tem post-rock slintiano com um vocal caprichado do Jair Naves, tem post-metal de alto nível, um estilo difícil de ver no Brasil, tem calmaria e porradas se alternando em nuances que vão da psicodelia ao shoegaze. Provavelmente eu nunca conseguirei deixar de chamar a banda de Herod Layne, mas pela primeira vez eu me vi escutando um disco dos caras diariamente, e isso se deve a expansão sonora que a banda se impôs em Umbra e por isso, eles aparecem por aqui.


Porto - Odradek

O minimalismo do duo instrumental Porto retornou esse ano em grande estilo. Em 2009 eles fizeram sua estreia e foram a revelação do ano para mim. Agora o som esta mais maduro, Richard Ribeiro e Regis Damasceno parecem se conhecer cada vez mais e a simbiose entre os instrumentos percussivos e as guitarras em Odradek, são um exemplo disso. Até o silêncio entre as faixas soa musical. O álbum passa por diversas sonoridades com o jazz e a psicodelia do rock setentista.


Desalma - Foda-se

O primeiro disco cheio dos pernambucanos do Desalma é uma aula de música pesada. A nova formação do grupo, agora um quinteto, conseguiu deixar o som ainda mais caótico do que era, porém não se engane, todas as notas e ruídos estão em seus devidos lugares. A banda expõe o seu recado e suas angustias até no título, com letras fortes sobre diversas problemáticas e toda brutalidade extrema do metal, crossover, grindcore e qualquer outro ingrediente que possa soar indigesto a princípio, mas se você prestar atenção, o som está bem claro.


SLVDR - Fera Vischer


O SLVDR (ou Salvador) tem esse nome, mas é um projeto carioca de música instrumental, neste ano, lançaram seu primeiro registro, o EP Fera Vischer, com apenas quatro faixas. E que sons! uma vibe instrumental torta, digna dos sons vindos do oriente, misturando as sonoridades contemporâneas. Segundo o perfil da banda, eles fazem música para gastar a onda, e fazem isso muito bem. Vai aqui como a revelação do ano de 2013 no Brasil na minha modesta opinião.

Você também pode gostar

0 comentários