Os melhores discos de 2013 por Fernando Gomes

por - 12:05

Os Melhores Discos de 2013 por Fernando Gomes


Uma das coisas que mais curto nessa época é acompanhar as listas de melhores do ano, principalmente as de discos, por mais que não entenda muitas delas e fique sempre indignado com o quanto os colegas parecem só ouvir as mesmas coisas e das mesmas regiões. Aqui no Altnewspaper, acho bem classe o fato de não repetirmos os escolhidos nas listas de cada colaborador, o que garante uma diversidade legal e nos ajuda a conferir o que tenha passado batido durante o ano. Os discos que listei abaixo não estão em ordem de classificação, são apenas seis dos melhores registros que chegaram aos meus ouvidos em 2013.


 

Dubstereo - Dubstereo

Talvez o principal desafio do Dubsetereo com esse disco fosse conseguir levar para o estúdio a energia de suas apresentações ao vivo. E a sensação ao ouvir essa pedrada é automaticamente imaginar o quanto essa banda deve crescer ainda mais no palco. Reunindo um time que conta com alguns dos músicos mais relevantes da música baiana atual, o Dubstereo passeia com tranquilidade por vertentes da música jamaicana nas 12 faixas (instrumentais e cantadas) do disco. Ouça a faixa "Sem Crise" e tente não se imaginar amarradão com a energia que isso deve ter num show. A produção do álbum é um ponto a se destacar, imprimindo uma atmosfera orgânica e clássica ao registro. Quase sempre ignorado pela grande mídia musical, o reggae/dub brasileiro se fortaleceu muito em 2013 com esse disco do Dubstereo.





EMICIDA - O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui

Já era previsível que Emicida faria um discaço quando decidisse chamá-lo de álbum e o cara mais uma vez elevou o nível da parada. O Glorioso... é um disco muito bem construído, desde a produção primorosa à ordem das faixas, permeadas pelas ricas poesias de Elisa Lucinda. A temática das letras é bem diversa, sem deixar de ser Rua, e as sensações proporcionadas pelo disco também variam bastante, indo da angústia de "Crisântemo" à alegria de "Ubuntu Fristaili". O disco se desenvolve alternando entre 'repão' direto e pesado ("Nóiz", "Bang", "Levanta e Anda") e faixas em que imperam outros ritmos - sendo samba o mais presente -, o que permitiu a Emicida mostrar a riqueza e versatilidade de seu talento, firmando seu nome entre os principais da música brasileira dos anos 2000. Ah! "Gueto" é uma das melhores músicas do ano.





Karol Conká - Batuk Freak

Esse disco é histórico. Nunca no Brasil o rap havia sido feito sob uma perspectiva tão feminina e livre, quebrando regras e padrões que muitos fingiam não ver. Mas, indo mais além, musicalmente a riqueza é grande. A produção por conta de Nave garantiu a onipresença de pedradas por todo o disco. São instrumentais modernos somados ao flow versátil e as letras simples da MC curitibana, garantindo que Batuk Freak se destacasse como um dos discos mais relevantes do rap nos últimos anos. É música pra festa e, ao mesmo tempo, com conteúdo. Um disco de rap feminista, dançante, com mensagem, marrento e sem nenhum momento de cara feia.





Noala - Humo

Denso, sujo e pesado. No lado mais sombrio da música feita no Brasil, o registro mais interessante desse ano foi feito pelos paulistanos do Noala. Para ter uma ideia do que se trata aqui, nomes como Neurosis, Pelican e Elma são boas referências. O disco é composto por vocais desesperados, letras em português e inglês, faixas longas e algumas instrumentais. Por falar em instrumental, esses caras mostraram saber muito bem o que estão fazendo, inclusive com moral pra inserir com classe efeitos eletrônicos ao caos já instalado por timbres agressivos de guitarra, tempos quebrados e uma bateria sendo castigada a todo momento. Se é fato que o Metal nacional teve momentos de pulso mais forte em 2013, com certeza Humo está entre os principais responsáveis.




Rael - Ainda Bem que Segui as Batidas do Meu Coração

E nossos ouvidos agradecem que você tenha seguido, Rael. Depois de ter feito bons barulhos com o Pentágono e ter lançado MP3 (seu disco de estreia), o cantor-mc chegou ao ponto alto de sua música em Ainda Bem.... O disco traz toda a riqueza que Rael parece ter adquirido desde seu primeiro envolvimento com a música. Rap, reggae e samba conduzem o ritmo aqui, transformando o disco numa das pedradas da música brasileira contemporânea."Semana"está seguramente entre as músicas mais bonitas de 2013; "Oya" é puta samba, enriquecido ainda mais pela voz de Péricles e "Caminho" é puro suingue. "Diáspora" e "Diferenças" se destacam pelas letras que incomodam coxinhas e 'Coração' e 'Ela me faz' provavelmente foram trilha para muitos maloqueiros com problemas de relacionamento por aí. Muito suingue e positividade por todo o disco, daqueles pra melhorar seu humor num buzu lotado.




Gringo


Queens of The Stone Age - ...Like Clockwork

Depois de seis anos sem material inédito, o Queens of the Stone Age chegou ao que parece ser sua melhor forma, aliando sujeira e beleza, atmosfera sombria e caos. Se não bate no aclamado Songs for the Deaf, ...Like Clockwork não perde a luta fácil. Menos barulhento e mais denso, menos cru e mais complexo, menos nervoso e mais cadenciado, o disco possui uma infinidade de detalhes que merecem muito sua atenção." I Appear Missing" é uma implosão em forma de música, sempre que ouço me remete a algo desabando; "The Vampyre of Time and Memory" é um ponto alto do álbum e ainda ganhou um clipe interativo digno de sua beleza melancólica reforçada pelos acordes de piano; "If I Had a Tail" seria uma ótima trilha pra uma cena de sensualidade num filme violento e a faixa-título encerra o ...Like Clockwork com uma languidez que beira trilhas de funeral. Dialogando com o título, "My God is the Sun" é um dos poucos momentos de mais luz no disco, remetendo ao QOTSA mais nervoso dos discos anteriores. As faixas são carregadas de intensidade, não há espaço pra tranquilidade por aqui e é isso que faz de ...Like Clockwork um disco que não pode ser ignorado pelo ouvidos roqueiros.



Você também pode gostar

2 comentários

  1. ahh... faltaram, muitos discos ae... cê escutou poucos discos então...

    ResponderExcluir
  2. ou ele podia fazer uma lista com 129 discos e colocar seu nome no final dela.

    ResponderExcluir