Transformando o Baile Perfumado no reino da alegria

por - 12:06

Foto0220


A noite da última sexta-feira (06/12) trouxe de volta ao Recife grandes nomes da música pernambucana. Promovido pela Som Livre, junto com a Babel Produções, o evento levou China, Afrobombas, Mombojó e a brasiliense Móveis Coloniais de Acaju. Os shows foram no Baile Perfumado, que abriu suas portas às 21h com os DJs Bahiano e Damata. O público não chegou a lotar a casa. Talvez a pequena quantidade de pessoas seja explicada pelo grande número de apresentações gratuitas dessas bandas na cidade. Isso vem dificultando que shows fechados tenham um bom retorno de público.


O cantor/radialista/VJ/produtor joinha/cover de Roberto Carlos China subiu ao palco perto das 23h30, com um atraso de uma hora do que havia sido divulgado pela produtora e de meia hora de acordo com o próprio músico. Admito que China não é um artista que eu costumo escutar em casa, mas sempre me surpreendo com seus shows. É uma energia muito positiva, que conduz o público com uma facilidade enorme. No repertório, músicas que abrangeram seus primeiros trabalhos, com espaço para uma faixa nova, Panorama, lançada há pouco tempo e que estará no seu próximo disco, Telemática, previsto para o primeiro semestre de 2014. O show começou com a fantástica “Boa Viagem”, que trouxe o pequeno público presente no Baile para mais perto do palco quase que instantaneamente. Um dos pontos altos do show de China foi a participação de seu filho, Matheus Camara, que tocou guitarra no hit “Só Serve Pra Dançar”.


Pouco tempo depois, a banda Afrobombas, conhecida por ter a bela filha de Chico Science, Lula Lira, e o vocalista da Nação Zumbi, Jorge Du Peixe, fez seu primeiro show no Recife. A apresentação trouxe uma nova vibe ao Baile Perfumado, mais introspectiva e menos dançante, o que desanimou uma parte do público, mas agradou outra boa parte que estava ansiosa para ver o grupo, que surgiu este ano, pela primeira vez. Formou-se uma grande ciranda na música mais conhecida da banda, "De Sal e Sol", em um bom momento do grupo no palco. A faixa "Passione", parceria de Jorge Du Peixe com Junio Barreto para a trilha do filme Febre do Rato, também botou o público pra cantar. Afrobombas ainda parece desconhecida pelos recifenses, mas o show de sexta mostrou que é uma banda que não pode ser ignorada.




[caption id="attachment_23120" align="aligncenter" width="640"]Mombojó foto por Sofia Freire[/caption]

Quando acabou o show de Afrobombas, um véu branco subiu e tapou a visão do palco. Pouco tempo depois, as imagens da cabeça de um cavalo e de várias letras formando a palavra “Móveis” surgiram, projetadas na sombra do véu. Quando a banda começou a tocar, a sombra dos músicos foi projetada no pano, ficou bonito de ver. A introdução do novo show do Móveis Coloniais de Acaju talvez tenha sido inspirada nas novas apresentações do Nine Inch Nails — com uma grande diferença, lógico. Referências à parte, é apenas um dos elementos performáticos que tornaram o grupo conhecido por suas apresentações cheias de coreografias, interação com o público e brincadeiras entre os integrantes. Móveis lançou seu terceiro disco em 2013, De Lá até Aqui, que já havia sido apresentado aos fãs do Recife no Abril Pro Rock deste ano. Na ocasião, as músicas novas foram recebidas com certa apatia, explicada pelo fato do álbum nem ter sido lançado, mas há uma clara diferença entre este novo trabalho e as faixas antigas. O romantismo, já presente no Complete, mas em menor intensidade, dá a cara do novo trabalho da banda, que deixou de lado de suas apresentações muitos dos hits animados e de humor sútil dos registros mais antigos. A sempre tão aguardada "Copacabana", por exemplo, nem apareceu no setlist. O show de sexta também foi o primeiro no Recife sem a presença do lado pernambucano da banda, o guitarrista BC, que tocou pela última vez em Móveis no Abril Pro Rock deste ano.


Já era cerca de 3h30 da manhã quando o Mombojó subiu ao palco para fechar a noite no Baile Perfumado. Logo no início do show, o vocalista Felipe S pediu para os fãs que quiserem mais shows deles aderir à campanha feita pela banda no Queremos!, site que realiza crowdfudings no Brasil, e cantou o single lançado para o projeto, "Pro Sol". A apresentação contou com várias participações especiais, todas elas comuns nos shows da banda. O pianista Vitor Araújo ficou sozinho no palco para a introdução de "Baú". A canção, presente no primeiro disco do Mombojó, recebeu uma nova interpretação para o álbum de comemoração de 11 anos da banda. O guitarrista e flautista da A Banda de Joseph Tourton, que trabalhava de roadie no evento, tocou a flauta na bela "Duas Cores". Cannibal, vocalista do Devotos, também apareceu e cantou "Realismo Convincente". Mas o melhor momento do show foi quando o guitarrista e o baterista do Devotos, Neilton e Celo Brown, se uniram a Cannibal e, juntos com o Mombojó, fizeram uma homenagem ao Devotos, tocando a música "Punk Rock Hardcore", clássico da banda do Alto José do Pinho. Com o grupo toda em palco, o Devotos ainda permaneceu para fechar a noite, tocando "Deixe-se Acreditar", quando se formou uma roda de pogo gigante no meio do público, transformando o Baile Perfumado no reino da alegria.


Texto por Danilo Galindo

Você também pode gostar

0 comentários