Ouça, baixe e compartilhe o Cena Independente #24: Melhores de 2013

por - 14:10

Cena Independente 24

Cena Independente é uma coletânea mensal, inspirada no Music Alliance Pact, que busca apresentar aquilo que há de mais novo e relevante na música nacional através da curadoria de blogs especializados, cada um responsável por um estado brasileiro. A mixtape é organizada pelo FUGA Underground e publicada sempre no último dia de cada mês pelos blogs parceiros.


A cada edição um blog diferente convida um artista de sua região para assinar a arte da capa. Convidado pelo Implosão Sonora, curador da cena cearense, a edição #24 traz o trabalho de Kamile Girão. Mais de seus trabalhos podem ser vistos em seu site oficial. No Cena independente, fazemos a curadoria do estado de Pernambuco. Caso seu estado não esteja aparecendo na coleta mensal, e você conhece algum site, blog de cultura ou alguém que esteja disposto a fazer parte da curadoria, favor entrar em contato neste blog ou no email: mixtape.cenaindependente@gmail.com


Nesta edição especial, você vai conhecer as grandes revelações nacionais de 2013, de acordo com os sites e blogs participantes da mixtape, passando por dez artistas e estados do Brasil!


06 Glue Trip


PARAÍBA [Atividade FM]: Glue Trip – Elbow Pain (dub/chillwave/psicodélico)


O duo Glue Trip, formado por Lucas Moura e do Felipe Augusto, se destacou com seus lançamentos durante o decorrer de 2013, mas o início de tudo foi em “Elbow Pain”. A música possui um clima de veraneio, sendo meio acústico e meio elétrica e repleta de camadas sonoras e efeitos. É possível encontrar a faixa no EP Just Tripp lançado pelo duo no mês de dezembro.


baianasystemjapao


BAHIA [El Cabong ]: BaianaSystem - Terapia (música baiana moderna)


O BaianaSystem ao mesmo tempo que é o símbolo do que vem acontecendo na Bahia, é a banda mais bem sucedida do atual cenário local. Arrastando multidões e criando hits mesmo estando totalmente fora da mídia, o grupo traz uma inovação que é bem característica. Revitaliza a velha guitarra baiana, mesclando reggae, dub, eletrônica, frevo, carnaval, quebradeira, arrocha e dancehall, sem a menor cerimônia. A música 'Terapia' marcou o ano, desde o Carnaval até agora, e é a música do ano no estado.


Troco em Bala - Alagoas (Sirva-se)


ALAGOAS [Sirva-se]: Troco em Bala – Liberdade (rock/indie/alternativo)


A Troco em Bala foi sem dúvida uma revelação no cenário alagoano em 2013. Foi uma das bandas mais ativas gravando e lançando músicas e clipe além de tocar em importantes eventos aqui na cidade. A cada dia a evolução da banda é notada e elxs seguem firmes, inclusive já entraram o ano com o lançamento do primeiro EP. A faixa escolhida para essa seleção é a mesma que dá nome ao clipe da banda, “Liberdade”.


Nuvens Invisíveis


 SÃO PAULO [Move That Jukebox]: Nuvens Invisíveis – Lost Elephants (noise/alternative/post-rock)

A anarquia barulhenta e os vocais rasgados que moldaram por muito tempo a sonoridade de nomes como o At The Drive-In revivem em "Lost Elephants", criação das mãos da banda campineira Nuvens Invisíveis. O EP de estreia do grupo ainda é seu único registro, lançado em fevereiro e que compila quatro canções autorais. Entre elas, está a faixa já citada, um petardo desses que podem provocar as melhores rodinhas de bate-cabeça. Serve pra terminar bem o ano, com o volume no talo, e torcendo pra que 2014 traga mais incursões musicais do Nuvens Invisíveis.

Audac

PARANÁ [Cena Low-Fi]: Audac – Back to the Future (indie rock)


Em 2013 alguns nomes do cenário musical paranaense obtiveram o merecido destaque. Uh Lá Lá, Nevilton, Karol Conka, Banda Gentileza e Confraria da Costa, por exemplo, foram nomes dentro e fora do estado, entretanto, o quarteto Audac deu um salto bastante qualitativo. Gordon Rapahel (que produziu os dois primeiros álbuns da banda The Strokes) que ansiava em gravar uma banda brasileira, pois já havia gravado algumas bandas latinas e em sua passagem por Florianópolis a convite da Ouié Thohosound (estúdio) entre cinco bandas oferecidas, Raphael optou pelos paranaenses e a parceria promete ir ainda mais longe a partir do próximo ano, então, enquanto não ficarmos tão enjoados de falarmos do quarteto formado por Alyssa Aquino (vocal e sintetizadores) e Debora Salomão (baixo e vocal), mais o guitarrista Alessandro Oliveira, ex-Copacabana Club, e Pablo Busetti, baterista em 2014, vamos ouvir a música "Back to the Future" que resume a proposta da Audac; musicalidade retrô (indie rock) das três últimas décadas bem repaginada e os vocais irresistíveis da Alyssa e Debbie uníssonos.


obr


CEARÁ [Implosão Sonora]: Old Books Room – Waves of Sun (rock /alternativo)

Old Books Room é uma banda de rock que surgiu em 2011, em Fortaleza, e formada pelo quarteto Ricardo Ferreira (voz e guitarra) e Reinaldo Ferreira (voz e guitarra) – sim, gêmeos! –, Diego Fidelis (baixo) e Marcus Rabelo (bateria). A banda vem ganhando espaço na cena cidade, principalmente por agora, que estão finalizando o primeiro álbum da carreira. Eles dizem que “o quarteto tenta canalizar sua percepção de mundo, suas experiências (nem sempre tão positivas) e seus sentimentos em música”. Go, OBR!


A Fase Rosa


MINAS GERAIS [Meio Desligado]: A Fase Rosa - Casa (mpb-indie)


Assistindo ao show da A Fase Rosa em um festival no interior de MG, um amigo que trabalhava no evento me disse: "Tenho coisa pra fazer, mas vou ficar aqui na frente até eles tocarem 'Casa', é minha música favorita". O show terminou e não tocaram "Casa", mas me surpreendi com a qualidade técnica e das composições da banda, cuja sonoridade descrevi posteriormente como "tropicalismo universitário" (sem carga pejorativa). Se a impressão já tinha sido ótima vendo apenas 20 minutos de show, ao conhecer a famosa "Casa", a sensação é de ter que prestar muita atenção nesses caras daqui pra frente.


rubel


RIO DE JANEIRO [RockInPress]: Rubel – Quando Bate Aquela Saudade (folk/acústico/mpb)


O Rubel parece aquele amigo da praça que sempre chega com um violão e põe todo mundo para cantar junto, em roda. É bem intimista, bem tímido, na dele. Bem intencionado o menino. Gravou suas canções em uma ponte EUA e Rio de Janeiro, chegando a um tipo de som peculiar, numa mistura sadia entre as duas nações. Pearl, seu disco de estreia é uma surpresa anual, romântica e esperançosa, já que dá um ar de novidade dentro de um cenário que, em maioria, soa apenas igual aos seus ídolos.


Graxa


PERNAMBUCO [AltNewspaper]: Graxa – Meu Deus, Eu Virei Um Garçom (rock/blues/brega)


Angelo Souza, também conhecido por Graxa, é figura atuante na cena lo-fi e independente do Recife, tocando na banda Canivetes, D Mingus e outras cabeças da atual Cena Beto, por sinal, alcunha criada por ele em uma mesa de bar. Graxa acaba de lançar seu primeiro disco solo, Molho e apresenta 15 canções divididas em dois lados, o álbum foi gravado no estúdio da Pé de Cachimbo Records. Na faixa escolhida “Meu Deus, Eu Virei Um Garçom, a oitava do disco, ele fala sobre um camarada que queria apenas ficar na sua no bar, mas nunca conseguia. Pra saber mais sobre o disco, fizemos um faixa a faixa com o camarada em 2 partes, Lado A e Lado B.


Mahmed banda 1


RIO GRANDE DO NORTE [FUGA Underground]: Mahmed – São Migas (pós-rock/instrumental)


Poucos lançamentos de 2013 tiveram a força das três faixas do EP “Domínio das Águas e dos Céus”. O Mahmed é criação de Walter Nazario, Dimetrius Ferreira (Bugs), Leandro Menezes (Fratelli) e Ian Medeiros (Kung Fu Johnny), músicos já de um histórico relevante dentro do rock potiguar, ligados a trabalhos de sonoridade mais viajada ou agressiva. Aqui essa turma investiu num pós-rock instrumental sofisticado, com texturas construídas com sensibilidade, que evoca a todo o momento uma natureza espiritualmente elevada, purificadora e aconchegante. “São Migas” é uma das grandes faixas do EP.


Agora que conhece os artistas, ouça o som online ou faça download:



Cena Independente #24 from cenaindependente on 8tracks Radio.


Cena Independente #24

Você também pode gostar

0 comentários