O caso do Jair Naves

por - 14:14

Jair Naves

Jair Naves é conhecido no mundo da música inicialmente como aquele vocalista visceral da banda de rock paulistana Ludovic. Alguns anos após o fim do grupo, ele lançou o EP Araguari, em homenagem a sua cidade natal e suas raízes. Depois disso, colocou na rua seu primeiro álbum solo E Você Se Sente Numa Cela Escura, Planejando A Sua Fuga, Cavando O Chão Com As Próprias Unhas, que acabou sendo um dos, se não o principal lançamento de 2012 na música independente nacional. No disco solo, Jair alterna momentos e temas, mas uma coisa está sempre presente, a exposição sincera nas letras e na interpretação das músicas. Jair é mais um caso de sucesso virtual, mas ao vivo também merece o crédito, mesmo que não tenha tocado o álbum de 2012 no nordeste, só para dar um exemplo. E isso não é culpa do Jair, é sim falta de atenção dos produtores nordestinos, aliado a falta de sorte de ter datas e a ausência de dinheiro para passagens caríssimas.


O caso de Jair Naves, é que nesse momento ele se encontra na reta final para alcançar mais um sucesso virtual. O de ter seu disco financiado pelo seu público através de financiamento coletivo via internet. Faltam cinco dias para findar a ação no catarse e apenas cerca de 10% para atingir o objetivo financeiro. Quem colabora com o registro, além do download antecipado dos sons, pode conseguir o CD físico, kit com camisa, ingressos para todos as apresentações do Jair e até um show do músico especialmente para quem tiver interesse. Se atingido, o disco deverá estar disponível no início do segundo semestre de 2014 e será gravado no Estúdio El Rocha, em São Paulo. O registro ainda conta com participação de Beto Mejia (Móveis Coloniais de Acaju), Camila Zamith (Sexy Fi) e Bárbara Eugênia.



Por falar na Bárbara, ela é outra que se encontra em um financiamento coletivo, desta vez feito para lançar um vinil com o Aurora, projeto autoral dela com o músico Chankas (Hurtmold). Nele, ambos trazem suas influências no folk e no indie, além da demonstração de apego pelos Beatles. O som é perfeito para um registro em vinil. No financiamento, o vinil teria 180 gramas e arte especial de Mário Cappi (MDM, Hurtmold) e fotos feitas pela Juliana R. A dupla linka o lançamento do LP com shows de lançamento, entre outras atividades. E você pode levar pra casa os trabalhos solos de ambos os artistas do Aurora, além de ser vip nos shows do projeto.


Não é apenas música independente que precisa de financiamento, tanto que no mesmo Catarse, achamos um para a restauração do Espaço Comum Luiz Estrela, lá em Belo Horizonte. Trata-se de um espaço livre de formação artística bem legal, já falamos como ele funciona aqui.


O caso do Jair Naves é o mesmo de vários artistas independentes, tanto da música, do teatro, cinema, entre outras áreas, que tentam realizar seu trabalho da melhor forma possível e precisam de sua ajuda para isso. E você pode fazer parte e adquirir um pouco deste trabalho direto de sua casa. Se você chegou até aqui, aproveite pra apoiar alguns dos projetos citados.

Você também pode gostar

0 comentários