Um papo com Anderson Foca sobre o livro "DoSol 10 Anos de Música"

por - 11:05

capa_DoSol 10 Anos

Anderson Foca é a cabeça por trás do selo/gravadora/centro cultural/portal/estúdio/festival (ufa!) DoSol, uma das referências nacionais em festivais independentes e o evento mais importante do Rio Grande do Norte. Quem vê todas estas ações atreladas a marca DoSol, pode pensar que tudo isso veio da noite para o dia. Ledo engano, a para provar isto, Anderson está às vésperas de lançar um livro contando os dez anos de história da marca e que acaba passando por sua vida pessoal.


Quem já foi em alguma edição do festival ao longo dos dez anos de existência, vê o comprometimento e o primor com o qual é feita a avalanche de shows, gravações, entre outras coisas. Somos suspeitos de falar das ações de Foca, já que sempre nos beneficiamos dos bootlegs dos shows do festival. Quem acompanha todas as ações e o movimento na cena independente potiguar, pode ter certeza que Foca é um dos camaradas mais envolvidos e responsáveis por toda esta movimentação.


O livro “DoSol 10 Anos de Música” é um relato documental, porém todo com material inédito, escrito pelo próprio Foca desde 2011. Nele, foca fala dos perrengues para conseguir acesso aos tais editais estaduais e federais, além da força de vontade dele em fazer e movimentar uma cena musical na cidade de Natal e interior do estado. Resolvemos bater um papo com o Foca sobre o livro, que será lançado na próxima quinta-feira (17 de Abril) no El rock (infos aqui), em Natal. Mas você pode adquirir o seu pela internet com o próprio DoSol através do email. Bom, segue o papo que é melhor.


AnderSon Foca


Quando a ideia DoSol começou e por que/pra que você criou o DoSol?


Foca: O Dosol nasceu porque eu queria fazer coisas com música bem parecidas com o que meus ídolos faziam. Ter um selo, gravar bandas, fazer tours. Claro que a gente não imaginava passar do segundo mês com a ideia, mas a coisa fluiu e aqui estamos.


Mas isso foi quando? Onde? Em qual situação ou momento?


Foca: No final do ano 2000, começo de 2001, um momento efervescente aqui em Natal. Rádios tocando música autoral,espaços surgindo, um selo parecia ser a coisa certa a fazer para aproveitar essa brisa.


Você tinha alguma experiência nisso?


Foca: Não. Foi tudo no esquema fazer, testar, ajustar, fazer de novo, aquele loop que a gente já conhece bem!


O que você fazia antes do DoSol? Eis uma coisa que nunca te perguntei...


Foca: Eu já trabalhava com música. Foi locutor de um programa de rock por três anos, apresentei programas de TV e cursava Ciências contábeis. Antes do Dosol eu já promovia shows e tinha bandas, desde 96.


E o DoSol já começou nesse combo ai? Sendo tudo, Selo, gravadora, espaço pra shows, etc?


Foca: Não. Isso foi um processo que fomos montando durante todos esses anos. Em 2001 éramos um selo com um estúdio de ensaio. Em 2002 começamos a gravar e lançamos a primeira edição do festival Dosol que na época nem recebia bandas de fora, era uma mostra só do selo para umas 300/400 pessoas. Todo o resto foi sendo criado nesse processo de formação, quem vê tudo pronto e funcionando hoje pode ter certeza que foi tijolo por tijolo, todos os dias que conseguimos deixar algo sólido. E até hoje continuamos deixando nossos tijolos lá.


E o livro conta essa historia? Conta algum causo legal do livro?


Foca: Eu não sou escritor né? Talvez tenha escrito um artigo ali, um press release acolá, mas livro é outra parada. Fui atrás de alguém que contasse a nossa história, mas todo mudo se assustava muito quando via a quantidade de conteúdo. Nesse processo comecei a escrever nos tempos livres em 2011 e só terminei agora. Tem muitas histórias pitorescas e cosias que as pessoas nunca imaginam que possa ter acontecido. Uma delas é o dia a dia em que fomos habilitar o Circuito Cultural ribeira na lei de incentivo. É tanto correria que o leitor vai ficar cansado só de ler.



De onde partiu o interesse de fazer um livro? E qual o objetivo dele?


Foca: O livro segue nossa pegada documental. Acho que o Dosol é hoje, um dos combos culturais com mais documentação própria que temos no país, nosso youtube tem quase 600 vídeos. É nosso DNA. O livro foi uma maneira de continuar isso. O Objetivo inclusive é documentar esse dez anos, deixar tudo registrado.


O conteúdo é apenas documental? Ou seja, junção de tudo que saiu sobre o DoSol ao longo dos 10 anos de vida. Ou teve texto produzido você e terceiros. Como funciona a dinâmica do livro?


Foca: O conteúdo é 100% inédita, junta minhas memórias nesses 10 anos, fotos, trechos de jornais. Mas é tudo inédito. Eu queria o livro todo feito por terceiros, mas todo mundo que encarou o conteúdo de pesquisa desistiu da ideia (muita coisa), sobrou para gente ir pro DIY novamente e mandar bala nos textos.


A sua visão da cena e do DoSol mudou com a pesquisa e construção do livro?


Foca: Não. Acho que a pesquisa para o livro dá só uma dimensão espantosa do que a gente já foi capaz de fazer e do que ainda podemos fazer daqui pra frente. É bom ir dentro do trabalho e ver a evolução, o que melhorou o que já foi melhor e que hoje não está tão bom e coisas do tipo. Acho que temos solidez e isso é muito animador.


Qual a conclusão que você chegou? O que precisa melhorar?


Foca: Acho que estamos no caminho certo, todas as mudanças, perrengues ou desvios de percurso serviram de azeite para o nosso tempero. Estamos felizes com o que conseguimos construir e o melhor que ainda estamos construindo.


Quem e o publico alvo do livro? Existe público alvo? Onde está sendo vendido o livro?


Foca: No geral quem curte literatura ligada a música talvez goste do livro, não tem um público alvo específico. O lançamento é dia 17 de abril aqui em Natal no El rock quem quiser pode solicitar o livro por email [email protected], cuta 40 reais + a taxa do correio.


Deve ser muito prazeroso (e trabalhoso) realizar tal pesquisa. Qual o melhor momento dela pra você? Qual período ou história te deixou mais alegre em relembrar?


Foca: Eu curti o processo todo, não tem um momento mais especial do que outros, é muito bom relembrar episódios da sua vida na real, então o processo todo foi muito bacana de fazer, apesar de cansativo.


Grande foca valeu a entrevista, tem mais alguma coisa que você queira falar sobre o livro e eu não perguntei?


Foca: de boa, tá bem completo!


cartazconvite


Foca é tão legal, que liberou a gente de sortear uma cópia do livro que sera lançado nesta quinta! Para concorrer ao livro, basta disseminar esta entrevista nas redes sociais (twitter, facebook, etc) e comentar aqui neste post  (coloque seus dados, email e nome, pelo menos) dizendo por que você merece ganhar o livro e comprovando que disseminou por ai (cole o link). A promo vai valer por uma semana, então segunda feira que vem dizemos o nome do ganhador do livro!

Você também pode gostar

2 comentários

  1. Só eu vou participar desse rolé? Aí é fácil, amgs haha
    Quero muito saber como era a cena de Natal, princpalmente os primórdias que muita gente mais nova (como eu) desconhece, e acho que eu deveria ganhar por que queria muito ter ido no lançamento mas não rolou. É isso

    Nome: Victor Romero
    Email: [email protected] https://www.facebook.com/vikrrr/posts/10152134549...

    E compartilhei

    ResponderExcluir
  2. Vei, esse livro tem que ser meu. Tenho muito o que aprender c ele. Sou de Alagoas e acompanho os corres do foca desde quando me tornei produtora cultural em 2011. Ele é uma das minhas maiores influências de articulação e força.
    Nome: Daniely Rocha
    Email: [email protected]
    @plocnilyploc
    Face: /danielyrochaa
    E Super compartilhei

    ResponderExcluir