Os franceses do SPORT sabem como fazer um emo bom

por - 11:06

SPORT - band


Eu sei que você já gostou muito do American Football, que ouviu Mineral durante um bom tempo e que carrega no seu celular aquele disco do Algernon Cadwallader. Não precisa ter vergonha disso. Eu faço a mesma coisa. Só há uma diferença entre você e eu: eu também coloquei os dois discos do SPORT nesse bolo, porque eles são bons pra caralho.


Com nome difícil pra achar no Google (se você colocar SPORT BAND, vai aparecer a cara do Craque Neto) o SPORT é uma banda de Lyon, na França, e eles fazem um emo bonzão. E não fica chorando aí não que eu tô ligadão que você curte e já tá procurando o botão de play. Por sinal, os dois álbuns do grupo estão liberados pra download no Bandcamp.


Quando escutei o Colors e mais recentemente o Bon Voyage, animei bastante uma entrevista com os caras e não é que eles responderam? Conversei com a banda por e-mail e aqui está a troca de ideia. Um fato interessante: não teve aquela onda de emo-fotolog na França.



De onde vem o nome na banda? No Brasil, há um time de futebol com esse time e uma emissora de TV chamada Band e ela é focada em esportes, o que complica na busca.


Nós não tínhamos um nome no começo e queríamos uma única palavra, em francês. O Vincent, ex-baterista, e eu estávamos ensaiando sem nenhuma pretensão, apenas tocando juntos, porque somos amigos. Nesse tempo, eu estava em uma banda com um pessoal que eu não tinha muita proximidade. O Nico entrou e trouxe junto o seu amigo Nak. Eles eram músicos, o que significa que eles falavam numa linguagem mais musical. Com o Vicent, nós não éramos assim. Então, o ponto era encontrar a nossa linguagem na música. Começamos a usar metáforas com esportes em nossas estruturas sonoras. Eu disse, “Sport poderia ser um bom nome, principalmente para o Google”. Nós encontramos depois uma banda alemã (e uma inglesa também) com o mesmo nome. Eles pediram para mudarmos nosso nome e nós poderíamos mudar para SPRT, afinal, se livrar das vogais é uma coisa meio comum.


Eu vejo algumas influências do Cap'n Jazz na música de vocês. Quais outras bandas influenciaram diretamente no som da banda?


Se eu tivesse que escolher um, seria o Algernon Cadwallader. Pela forma como eles gravam suas coisas, musicalmente falando. Mas é difícil escolher um, porque geralmente nós ouvimos um monte de coisas. Enquanto eu respondia essa entrevista, eu ouvia o Menos el Oso do Minus the Bear e o The Bees Made Honey do Earth.


Como é a cena desse tipo de som que vocês tocam aí na França?


É mais seguro dizer que não há uma cena. Tem o Chasing Paperboy em Nice, mas eles tocam raramente.


Na França também rolou aquela “terceira onda emo” com um pessoal de franja e etc?


Eu nunca ouvi falar disso. Nem de uma primeira ou segunda onda. Eu diria que teve um pouco de “toque francês” no emo por aqui, nos anos 90, com bandas como Sixpack, Second, seguido por coisas atuais como o Sed Non Satiata e alguns grupos mais influenciados pelo screamo.


Por que tocar hardcore e emo atualmente?


Eu não posso tocar jazz e rock n roll com solos de guitarras, e metal também está fora do meu alcance. Eu gosto do pessoal que conhecemos, os laços que criamos há alguns anos na cena europeia. É legal ter algumas ideias em comum, desde que possamos discuti-las. Porque se você não gosta de discutir esse tipo de coisa, acaba recriando a sociedade que tanto critica, por ser intolerante. Eu não vejo diferença entre um punk intolerante e uma pessoa que não é punk, mas é intolerante, com exceção que o punk vai se gabar do quão legal é ser punk e o outro não quer se sentir superior a ninguém. Sim, o “eu sou melhor que” está me matando, e eu vejo muito disso na cena punk hardcore.


SPORT Band


Qual foi o melhor e o pior show que vocês já fizeram?


O melhor show que fizemos provavelmente foi ano passado no Fluff Fest. Foi um grande festival e nós tocamos em um palco aberto, numa noite de sexta-feira enquanto o sol estava se pondo. Muitos amigos apareceram, alguns que conhecemos na turnê. O clima foi perfeito e a gente se divertiu bastante. Talvez o pior tenha acontecido no Chamonix, na França. O pessoal ficou há 30 metros do palco. Estava frio pra caramba (nós tocamos a céu aberto) e a minha guitarra caiu do gabinete. Más lembranças.


Qual a importância dos irmãos Kinsella para vocês?


Não muita. Nós ouvimos suas bandas, mas nunca pensamos neles como heróis ou modelos. Eles são muito bons em bandas como Cap'n Jazz e talvez um pouco mais no American Football (a minha banda preferida deles). Certamente nos influenciaram de algum modo, mas não diretamente. Há uma boa ideia em uma música do Bayoné em que eles dizem “Você não é um Kinsella, cara”. Um monte de gente tentou imitá-los, mas é legal imitar coisas boas. Eu posso dizer que, ao contrário da maioria, o Fat Mike não me influenciou em nada.


Cap’n Jazz, Mineral, Penfold ou alguma coisa mais clássica, tipo Embrace?


Eu vou de Embrace, Cap'n Jazz, Mineral e Penfold!


Vocês pensam em tocar algum dia no Brasil?


Nós recebemos alguns e-mails bem legais pedindo para que toquemos no Brasil. Nós não vamos fazer isso esse ano porque já fizemos os nossos planos para 2014, mas talvez ano que vem. Vamos ver como estaremos nos próximos meses, e pensaremos nisso, mas sem apressar as coisas. É um destino muito interessante e eu nunca estive na América do Sul.


Quais artistas franceses vocês recomendariam para que a gente ouvisse aqui no Brasil?


Eu diria Baton Rougue, Celeste, Sugartown Cabaret, Child Meadow, Sounvenirs, Chasing Paperboy, Mermonte. Eu provavelmente esqueci alguns, desculpa (risos).



Quem fez as capas dos dois discos? Tanto o Colors quanto o Bon Voyage são simples, mas bem bonitos.


O Colors foi bem rápido. Eu estava no Flickr dando uma olhada em algumas fotos de uns artistas e essa foto de um cara em cima de uma bike me tocou. Eu disse, “é, essa é a capa”, por conta da forme como ele olha, o sentimento que sai disso. Para o Bon Voyage nós gastamos muito tempo. Discordamos em algumas fotos, de qualquer maneira, queríamos mesmo uma arte em preto e branco.


Vocês ouvem ou conhecem alguma banda ou artista brasileiro?


Eu sei que o Nico conhece. Eu me sinto envergonhado porque desde que entramos em contato com brasileiros, eu ouvi algumas bandas boas e eu não consigo lembrar o nome. Então, eu não vou trapacear fazendo algumas buscas no google ou no bandcamp. Eu só preciso ter um conhecimento melhor. Mas por favor, me fale alguns nomes! Me desculpem.

Você também pode gostar

0 comentários