"O que já foi dito sobre a copa, de novo"

por - 15:21

exoesqueleto


Se você não quer ler mais um texto sobre a copa, está lendo o texto certo. Não estou dizendo que não falarei sobre a copa, só que este não será mais um texto sobre futebol, para ser mais exato.



Seria óbvio demais traçar um paralelo entre as peças sobre escovação dental na minha escola primária e a abertura da copa, se tratando do aspecto fantasia, coreografia, vontade de estar lá e, claro, no nível de consciência alterada por parte dos organizadores do evento, mas verdade seja dita, se uma surpresa foi prometida, eles entregaram o pacote completo. Pergunto-me como deve ter sido a abertura da copa de 1950, a primeira realizada no país. Provavelmente xingaram alguém nas arquibancadas e o exoesqueleto talvez fosse um andador de alumínio, que hoje é utensílio básico no auxílio dos necessitados do aparelho.



Aliás, falando em exoesqueleto, por mais tecnológica e inovadora que aquela porra seja, aparentemente ela não teve o prestígio que merecia. Um aleijado voltar a andar aparentemente não foi o ponto alto da festa. Concordo. Jennifer Lopez e Pittbull são artistas que fariam o amigo impossibilitado de andar até mesmo correr do número musical. Tá bom que tivemos a Shakira na África, mas vamos lá, copa no Brasil. Podíamos ter tido um show de duas horas com a volta do antigo Exaltasamba. Chrigor e Péricles juntos fariam o mais chato dos críticos derreter com a magia dos anos 90.



Em termos jornalísticos, fico impressionado com como as reportagens são as mesmas de sempre. Homem de nacionalidade estrangeira que vive no Brasil. Perguntam como era a vida dele no outro país, perguntam se ele torcerá para o Brasil ou para o país de onde veio. Mulher casada com estrangeiro, contam a história de como se conheceram, perguntam para quem o casal vai torcer. E assim por diante. A crônica jornalística ou mesmo a esportiva não dão espaço para que as coisas sejam diferentes em coberturas dessa magnitude, afinal, ainda é um grande evento, mas ao menos deviam cortar com a receita do bolo fecal que são essas reportagens.



Deméritos a parte, pela primeira vez na vida torço para o Brasil. Sob circunstâncias estreitamente específicas, até porque com Henrique e Jô, teremos sorte de passar para as quartas de final, mas quero que o Brasil avance no torneio pela pura possibilidade de ser dispensado mais cedo do trabalho, obviamente. De todo o modo, o que esperar desta copa do mundo politicamente falando? Muito coxismo, infelizmente. Ainda acham que a figura do presidente é como a do rei monarca totalitarista. Mas enfim, xingamentos por xingamentos, o futebol está absolutamente cheio e isso para mim não diz muita coisa senão que os ingressos não foram vendidos por um preço justo e ficaram apenas com a elite coxa que brigará com os petralhas se perderem a copa ou que alegarão a compra dos resultados da copa caso esta seja vencida.



Espero não ser vinculado a nenhum partido ao tentar justificar uma linha de raciocínio, mas talvez seja interessante reafirmar que minha postura apolítica real é o que me veste neste desfile de grifes dicotômicas. Enfim, um exoesqueleto para a o gigante narcoléptico soa como uma grande ideia. Quem sabe assim ele começa a andar e sonhar ao mesmo tempo, sem precisar fazer um ou outro.


pai retira filho de protestos

Você também pode gostar

0 comentários