"Para quebrar a vértebra do assunto"

por - 15:17

zuniga


Percebeu-se nesses últimos dias que muito brasileiro não sabe o real significado das palavras “vergonha” e “orgulho”. E por mim tudo bem já que não sei o que “pasquinata” quer dizer. Além de desconhecer alguns vocábulos, notou-se que a esperança é inerente a todo fã de futebol que realmente acreditava que um desastre não aconteceria com a convocação de Fred, Jô e do atleta Henrique, ex-zagueiro do Palmeiras. Não tiro o mérito da seleção mais gente fina que já tivemos e se a copa do mundo fosse um torneio de miss universo, levaríamos o “miss simpatia” com toda a certeza.


E o que levamos para nós depois desta copa acaba sendo uma grande lição de vida. Nosso povo é esperançoso e confiante demais em quem se propõe a fazer qualquer coisa por ele, o que é uma característica muito fofinha se realmente existir confiança nesta relação. Confiar em um cara que diz que vai ganhar a copa do mundo convocando Fred, Jô e Henrique é confiar em um homem que diz que ganhará uma corrida de fórmula 1 com um carrinho de rolemã. Ok, sei que isto é corneta pura, mas percebemos isto em menor e maior escala se tratando de um aspecto quase que antropológico nosso.


Devemos aprender algo com tudo isso, eles dizem. Concordo que toda experiência é válida como aprendizado, mas alguém devia explicar um pouco mais especificamente o que deve ser aprendido dentro de uma experiência como essa, até porque muita coisa dá pra ser aprendida, só não talvez a que se espera que se aprenda. Quem nunca aprendeu numa aula chata de matemática que não se pede truco na mão de onze? Precisamos de um pouco mais de direcionamento nestes momentos, do futebol e do Brasil como um todo.


Além do famigerado “planejamento alemão”, não tínhamos outra coisa quando o Brasil tomou a goleada. Um problema. Antes de perdermos, tínhamos um time campeão da Copa das Confederações, o que não significa nada, óbvio, mas a questão foi ter se conformado com o torneio interbairros mais globalizado que fizeram aqui. Conformados, novamente. Os erros parecem mais simples do que na prática. Mas não sou tão pretensioso a ponto de identificar erros e cobrar a correção deles. É só futebol. Ou é só uma característica inerente da sociedade. Reflexos mínimos que podem estar apenas saltando aos olhos agora. Sabe quando você toma a picada do pernilongo e o calombo fica visível? Pois então.


Para as próximas seleções brasileiras, e seus torcedores, torço apenas para que não se conformem com pouco, ou com o Neymar. O dito melhor jogador da seleção sofre do maior problema que enxergo atualmente de modo generalizado. Publicidade ruim. Não entro no mérito de julgar sua qualidade, que nesta copa foi minimamente questionável dada a circunstância de que o cara caiu o tempo todo tentando cavar pênalti como se estivéssemos no paulistão. No entanto, o publicitário tem fumado muita bosta quando o assunto é propaganda envolvendo a seleção. Criou uma imagem legal, mas que não segurou futebolisticamente falando. Aqueles milhões pesaram no bolso na hora de jogar pra mim.


david

Você também pode gostar

1 comentários

  1. 1. Não sou homofóbico, mas quem começa um texto sobre a copa com o título: "O MAL ESTAR DA CIVILIZAÇÃO ATUAL" nunca jogou futebol, é contra a copa com aqueles argumentos batidos ou é gay.
    2. Futebol é futebol porra ou ganha ou perde, que lição de vida o caralho...
    3. Que matemática esse cara aprendeu enquanto jogava truco na aula??
    4."Reflexos mínimos que podem estar apenas saltando aos olhos agora". Será mesmo??
    5. Bateram no cara o tempo todo, quebram ele no meio, saiu da copa e um babaca escreve:
    ''..dada a circunstância de que o cara caiu o tempo todo tentando cavar pênalti como se estivéssemos no paulistão" .. me diz qual jogo Neymar "caiu" dentro da área ??
    A única coisa que dá pra afirmar é que o time é uma merda e dependemos do Neymar...
    Mas infelizmente agora é hora de aguentar os pseudointelectuais e suas reflexões sobre futebol/sociedade/política...

    ResponderExcluir