#TerçaGringa: Jozef Van Wissem, o minimalismo e o dom da trilha sonorabem feita

por - 11:08

hans_van_der_linden_4_lutes
Fazia tempo que eu não prestava atenção em uma trilha sonora, como o fiz no filme Amantes Eternos (One Lovers Left Alive, Jim Jarmusch – 2013). Não apenas por um dos personagens principais do longa ser um músico (leia nossa resenha para o filme), mas também pela densidade das canções apresentadas em cena. Os responsáveis pela trilha sonora foram o compositor holandês minimalista Jozef Van Wissem e a banda americana SQÜRL. Com ela, o grupo ganhou o Festival de Cannes em 2013 e foi nesse filme que conheci o grupo e o artista, que trabalham muito bem em conjunto ou separados na soundtrack.

Fiquei fascinado pelo minimalismo com o qual o Jozef desenvolve seu trabalho e acabei mergulhando mais na carreira deste músico holandês. Em minhas pesquisas descobri onze discos do camarada, que nos remete até o início deste novo século, entre eles, um com o Jim Jarmusch, além disso, ele também fez a trilha sonora do game The Sims Medieval. Algumas composições dele com o Jim apareceram em filmes ao longo dos últimos anos, mas o trabalho em trilhas sonoras mais importante e completo dele foi o do filme vampiresco já citado e dirigido por Jarmusch.

Dos trabalhos solos dele, o primeiro que ouvi foi o disco A Priori, de 2008. Um belo registro de acústico e minimalista, com muito folk instrumental e títulos incríveis para as canções calmas e tristes. O apreço do trabalho só melhora com o som do lute, instrumento de cordas no qual o holandês vem se especializando cada vez mais ao longo dos anos. Outro álbum que ouvi do compositor foi It Is All That Made (2009), que é mais uma aula acústica de lute antigo, com um pouco de influência do country e do blues da mais alta qualidade.

O Ex Patris (2010) só melhora a aula iniciada nos dois anteriores. Ao longo das seus canções presentes no disco, ouvimos um duelo entre o lute tradicional, o da renascença e o violão. Em uma entrevista ele diz ter começado a estudar violão clássico aos 11 anos e viu que em algumas peças musicadas de Shakespeare, existia o uso do lute, um precursor do violão. Na mesma entrevista, ele cita Velvet Underground como influência musical (leia ela aqui, em inglês). Mas para você que nos acompanha e já ouviu falar do Jack Rose e curtiu, o Jozef é um daqueles nomes obrigatórios em sua pasta de música clássica/instrumental/experimental/acústica.

Então, eis aqui os três discos solos dele, um em parceria com o Jarmusch e a trilha sonora original do filme Amantes Eternos pra vocês baixar!

Um gringo de nome impronunciável, fez um belo review/ compilação das músicas feitas por ela e o Jarmusch nos discos Apokatastasis” (2013) e The Mystery of Heaven (2012). Aconselho a lida e audição das belas composições, já que não achei estes discos pra download. O mesmo aconteceu com The Joy That Never Ends (2011), outro da parceria da dupla. Caso você encontre link pra baixar um destes trabalhos, por favor, poste nos comentários!

Veja um vídeo fodástico do Jozef Van Wissem tocando ao lado do SQÜRL dois tocando juntos ao vivo:



PS: Amanhã rola um bootleg dele ao vivo, lá no Hominis Canidae; Fica esperto!

Você também pode gostar

0 comentários