Os melhores discos de 2014 por Fernando Gomes

por - 12:08

melhores2014fernando


Mais clichê que fazer lista de melhores do ano é dizer que "esse ano passou voando". Mas é inevitável reconhecer que em 2014 alguém apertou a tecla fast forward e fez a coisa acelerar como nunca. Daí o tal clichê das listas se mostra mais útil ainda, pra você dar aquela conferida em algo que tenha passado batido na correria desses 12 meses ou para mostrar que discorda do que está sendo publicado por aí e se perguntar onde esse povo de blog andou com os ouvidos? Eu mesmo já me perguntei isso esse final de ano. Então, confere aí e fique à vontade para concordar, pesquisar o que ainda não conhece e indicar o que de melhor você ouviu nesse 2014 veloz.

 far from alaska - modehuman


5-) Far from Alaska - ModeHuman


Eles já tinham gerado uma grande expectativa com um EP e um videoclipe muito bem feitos e, em ModeHuman, trouxeram mais um belo presente do frutífero cenário potiguar ao rock nacional. Banda nova, composta por músicos competentes com experiências como Calistoga e Talma & Gadelha, fazendo um som com personalidade, em que guitarras distorcidas e efeitinhos eletrônicos convivem muito bem, sem aquela papagaiada toda que costumamos ver em alguns grupos do gênero. Soma-se a isso muita energia e um vocal feminino que com certeza é um dos principais pontos positivos do Far From Alaska, que certamente ainda vai crescer e continuar trazendo coisa boa aos ouvidos rockeiros.

inquerito - corpo e alma


4-) Inquérito - Corpo e Alma 


As letras poéticas do Inquérito sempre foram o principal destaque do grupo e, dessa vez, além dos beats pesados, a parte instrumental do trabalho conta com uma rica produção musical. Instrumentos e vozes diversas dão ainda mais qualidade ao rap presente aqui. E é repão mesmo, favela, pesado, recheado de ideia dedo na ferida e sem maquiagem. Instrumentos de sopro e cordas convivendo com scratchs, colagens e percussões criando a base ideal para versos como "Quem não tem sangue de preto na veia deve ter na mão" e "A farmácia é uma biqueira com CNPJ". Em Corpo e Alma, o Inquérito dá mais uma boa mostra do quanto o rap pode ser rico mantendo-se fiel a suas raízes.

Ratos de Porão - Século Sinistro


3-) Ratos de Porão - Século Sinistro


Mais de 30 anos de vida e fazer um disco desses é um feito muito louvável para uma banda. Em Século Sinistro, o Ratos se reafirma novamente como um dos principais nomes da história da música feita no Brasil, ainda que para muitos essa barulheira toda nem seja música. Para quem já acompanha o grupo, não há muita novidade no disco e, se tratando de RDP, isso é muito bom! É porrada do início ao fim, com direito a participação suína e um apanhado crítico do Brasil atual nas letras. Conteúdo não indicado para reaças, leitores de Veja, policiais militares, playboys, jornalistas sensacionalistas, políticos corruptos e toda essa merda de gente com a qual temos que conviver.

 russo passapusso


2-) Russo Passapusso - Paraíso da Miragem


O aguardado disco do cara à frente do Baiana System chegou pra firmar o nome de Russo Passapusso entre os grandes talentos do país atualmente. Indo muito além do papel de MC que já desempenhava com boa graduação em ritmos jamaicanos, em Paraíso da Miragem o baiano passeia tranquilão pelo samba, afoxé, rock e dancehall. Tudo com muito suingue e beleza, com a primorosa produção de Curumin, resultando num discaço bem feito e sincero.

elo da corrente - cruz


1-) Elo da Corrente - Cruz


O Elo da Corrente é um dos nomes mais competentes e criativos da ótima geração contemporânea do rap brasileiro. Depois do disco de estreia e um EP que já anunciava os rumos que seriam tomados, chegaram esse ano com a tijolada chamada Cruz. A sofisticação nas letras e instrumentais presentes no disco e a perceptível evolução técnica dos MCs fazem desse registro o melhor momento na carreira do grupo. Rap bem distante do lugar comum, com ricas referências nos versos e samples e uma atmosfera positiva que te faz pensar mais que dançar. Os refrões de “Ave Liberdade”, “Memórias e Cruz”, a positividade dançante de “Alegria” e a poesia de “Salutaris” são apenas alguns dos pontos altos do disco. Obra-prima mesmo, daquelas que a cada vez que você ouve percebe mais um fator bom. Preste atenção!



 Gringo


antemasque

Antemasque - S/T


Eu poderia só dizer que é bem parecido com At the Drive-in e isso já deveria ser motivo suficiente pra você dar atenção, mas vale acrescentar mais algumas coisas. Omar e Cedric são daqueles caras que já se envolveram em diversas bandas/projetos e tudo que fazem na música é, no mínimo, bom. Esse disco foi uma grata surpresa esse ano, em que eles deixam um pouco de lado o experimentalismo Mars Volta e dão mais espaço à energia e agressividade que os tornou conhecidos. É aquele rockão lindo e dançante que só eles sabem fazer, com suas melodias epilépticas, riffs certeiros e uma densidade ora caótica, ora radiofônica. Muito obrigado por continuarem fazendo música, rapazeada! Ah, e eles parecem estar bem mais animados nos palcos com o Antemasque do que com aqueles shows de reunião do ATDI.

Você também pode gostar

2 comentários

  1. P/ a coisa ficar melhor ainda, precisa apenas compartilhar os links p/ a rapaziada baixar os discos Fernandão! Yô...
    Gde. Abç

    ResponderExcluir