Três perguntas e um compacto: Bixiga 70

por - 12:10

Bixiga_70_-_divulgacao_cor04_-_creditos_Nicole_Heiniger_2
Bixiga 70 é aquela mega banda paulistana que faz som instrumental do mundo. Isso, o baú de influências deles é tão grande quanto o número de integrantes do grupo. Esta semana, eles lançaram um novo single chamado “100% 13”, homenagem a Rua 13 de Maio, local onde fica o estúdio Traquitana, casa deles no bairro do Bixiga em São Paulo. A música vai sair no formato físico em compacto 7”, com o lado B sendo uma versão dub do single remixada pelo Victor Rice (do Firebug).

O compacto é uma prévia do que está por vir no novo disco da banda, que será lançado no ano que vem. De acordo com eles, o álbum tem fortes influências do rap e da música árabe, além de ser a primeira vez em que eles criam primeiro a música no estúdio e depois levam para o palco. Outro fator interessante é que nesse terceiro álbum todos os membros do grupo aparecem como compositores das faixas.

Aproveitando o lançamento do single, fiz três perguntas rápidas para o Mauricio Fleury, um dos cabeças do grupo e um dos principais arranjadores. Ele falou um pouco sobre o processo de composição e também deu uma prévia do que pode vir no disco novo. Ouça o compacto e leia o papo abaixo.


Eu queria entender esse processo de composição invertido, já que o Bixiga parece trabalhar muito em cima da resposta do público. Por que dessa vez criar tudo antes de mostrar?

Nossa ideia era lançar o disco ainda este ano, por isso reservamos um tempo específico para a criação e gravação do mesmo, levando em conta um prazo apertado, que acabou mudando depois que estávamos no fim do processo e bastante satisfeitos. Nós já estamos tocando uma ou outra música nos últimos shows e tem sido bem legal a recepção. No mais, acho que inverter o processo também fez com que usássemos a nós mesmos como referências e por isso acredito que seja um trabalho muito autêntico e honesto em relação aos dez integrantes se entendendo como uma unidade de composição.

Se todo mundo participou do processo, como isso aconteceu? Jam sessions ou partiram de temas específicos trazidos por cada um dos integrantes?

O nosso processo partiu do improviso e da tentativa de levar algumas ideias antigas adiante, esta última não rolou muito, nenhuma ideia antiga sobreviveu, acabamos pegando as ideias dos improvisos e construindo em cima, camada por camada, até que virassem músicas com começo, meio e fim.

Quantas músicas vão estar no novo disco? Já tem data pra 2015?

São nove músicas no total e deve sair em torno de abril. Se você curtiu o compacto e está curioso pra ouvir os novos sons da banda. Neste final de semana (sábado às 21 hrs e domingo às 16 horas), o grupo se apresenta no SESC Vila Mariana e AINDA TEM INGRESSO!

Você também pode gostar

0 comentários