Assista a "Céu", o primeiro clipe do Fernando Motta

por - 11:00

[caption id="attachment_28090" align="aligncenter" width="695"]Fernando Motta por Jonathan Tadeu[/caption]

O Fernando Motta é o mais novo integrante da Geração Perdida, aquele coletivo de artistas de Minas Gerais que fazem coisas legais pra caramba e sempre falamos por aqui. Nesta segunda-feira (23) ele solta com exclusividade pelo Altnewspaper o clipe de "Céu", que teve direção de Jonathan Tadeu (Quase Coadjuvante) e é a primeira faixa divulgada de Andando Sem Olhar pra Frente, álbum de estreia do mineiro que sai na segunda semana de junho.

Num clima meio rock triste, Fernando mostra em "Céu" o tom que terá seu disco, como ele mesmo explica. "Escolhi essa música pra ser o primeiro single justamente porque ela é um pouco síntese do álbum, tanto na melodias, com voz e guitarras arrastadas, quanto no tema. Penso que o título do disco resume bem o que vem por aí" e fala sobre o termo que deixou muita gente de BH puta. "Esse termo é muito bom porque ao mesmo tempo que é jocoso, é carinhoso também. Foi uma alcunha criada pelos fãs dos meninos, não só da turma aqui de BH, mas também das cenas irmãs que temos no RJ, com a Bichano Records, em Recife, com a Transtorninho Records e em Porto Alegre, com a Umbaduba Records. Mas acho que de fato as bandas têm uma visão menos festiva das coisas. Cada um pode falar melhor sobre os seus motivos pra se fazer rock triste. Acho que no meu caso foi muito um reflexo do momento. Mas, na verdade, também não sei se eu conseguiria fazer diferente se estivesse numa fase de euforia. Eu gosto muito de rock triste! (risos)".

[caption id="attachment_28091" align="aligncenter" width="695"]Fernando Motta por Jonathan Tadeu[/caption]

Antes de começar a fazer o próprio rolê na música, Fernando tocava com a Young Lights, outra banda que faz parte da Geração Perdida. O contato com o Jonathan Tadeu, ele lembra, rolou em 2009 e graças ao nosso saudoso Orkut. "Foi muito louco porque nós somos muito fãs de Elliott Smith e eu lembro de ter reconhecido ele por causa de uma comunidade no Orkut. "Você não é aquele cara da comunidade do Elliott? Você deve ser o único mais fanático que eu", falei quando trombei com ele (risos). A partir daí eu comecei a acompanhar o trabalho da Quase Coadjuvante, depois Lupe de Lupe e o trabalho solo do Jonathan", e também diz que o fato de tocar Jairo (Young Lights) foi fundamental para começar a compôr. "Ver a confiança e o amor que ele tem pelas músicas que faz foi muito determinante pra que eu tivesse coragem de gravar as minhas. Eu já tinha algumas músicas, mas nos últimos meses comecei a compor muito. Resolvi mandar as demos pro Jonathan e ele deu muita força pra que aquilo virasse um disco. Depois veio o convite pra lançar pela Geração.

A julgar por "Céu", Andando Sem Olhar Pra Frente é aquela junção da hora do Mogwai e do Sigur Rós com o Elliott Smith, muito por causa do produtor do disco, João Carvalho (Sentidor/El Toro Fuerte). "Essas referências (do post-rock) se intensificaram muito desde a parceria com o João Carvalho. Ele trouxe muitos elementos do gênero pro álbum", comenta Fernando. Já o clipe, todo em preto e branco e que você confere abaixo, mostra o entrosamento entre o compositor e o Jonathan. "Eu pensava sempre em um clipe em preto e branco pra essa música. Foi muito engraçado porque quando o Jonathan se propôs a fazer, de cara ele veio com a ideia de preto e branco também. Mas a ideia do roteiro foi toda dele. Ele chegou com umas ideias malucas e se insiprou bastante no O Sétimo Selo, do Bergman. Depois que fui pensar na ligação bizarra que dá pra fazer entre a música e o filme".

Assista a "Céu".

https://www.youtube.com/watch?v=f9W3xNh38KY

Você também pode gostar

0 comentários