365 Girls in a Band - Review #17

por - 14:00

[caption id="attachment_28184" align="aligncenter" width="695"]por Daniel Piozevani / Divulgação por Daniel Piozevani / Divulgação[/caption]

Depois de ver esse link aqui, do Hominis Canidae, só com bandas nacionais que lançaram trabalhos nesse primeiro semestre de 2016, resolvi fazer um review só com artistas brasileiras. Aqui, cinco projetos com, no máximo, 20 anos de existência, de diferentes estilos e locais, mostrando a diversidade cultural e de produção que existe no Brasil. Uma lista que não é definitiva e não se encerra aqui (na verdade, essa é a ponta de uma corrente muito maior).

Anelis Assumpção

https://www.youtube.com/watch?v=5YjphIEZ9Uw

Vi o show da Anelis na SIM São Paulo-2014, num evento com muitos problemas de produção que resultaram em shows pesados. Anelis não deixou nada a dever, tomou conta do palco com seus incríveis amigos imaginários e me vi dançando, cantando, chorando e aplaudindo muito. De lá para cá, minha paixão não diminuiu. Filha de Itamar Assumpção, Anelis começou a cantar meio escondida do pai, mas acabou sendo uma de suas orquídeas e tem uma carreira solo incrivelmente competente. Para ouvir sempre e para ir em todos os shows.

Para saber mais: Site Oficial, Wikipedia, Miojo Indie

Fronte Violeta

https://vimeo.com/167513699

Formada por Carla Boregas e Ana Tokutake (que tem nesse o seu primeiro projeto musical público), a Fronte Violeta é uma dupla paulistana instrumental, lançada pelo selo promissor Dama da Noite Discos (pelo qual Carla é responsável). Se auto descrevendo como um fluxo de ideias, o encontro das influências e desejos das duas para formar um som uno e diferenciado, a Fronte Violeta lançou seu primeiro disco em 2015, com apenas uma faixa de 26 minutos. Pode assustar e parecer hermética, mas a longa canção se alterna em estilos e composições que parecem fragmentos de músicas menores e que apresentam bem esse lance junto e misturado de Carla e Ana.

Para saber mais: Floga-se, Bandcamp, Dama da Noite Discos

Banana Scrait

https://www.youtube.com/watch?v=6Tqu5KOrkJE

Um duo que surgiu numa (ainda mais) árida Fortaleza dos anos 90 com um som punk e refrões grudentos, ficou muitos anos sem gravar nada, reapareceu com um disco que revisita um maestro falecido em 1920 e um segundo álbum, de canções inéditas, no mesmo ano. O Banana Scrait deixou muita gente feliz com esse retorno e mostra que uma banda madura muda mesmo, e que isso não significa perder a qualidade ou a identidade. Um dos projetos mais bacanas do underground cearense e nordestino.

Para saber mais: Site Oficial, Entrevista no Scream & Yell, Rolling Stone

Karol Conká

https://www.youtube.com/watch?v=Al4kiYZIws4

De Curitiba, Karol Conká vem agitando a cena do rap e hip hop nacional, tocando em grandes shows e gravando clipes maravilhosos. A garota, que começou a cantar após ganhar um concurso aos 16 anos e foi aposta da MTV em 2011, chamou atenção de Gilles Peterson, DJ inglês especializado em descobrir e espalhar novidades rítmicas pelo Reino Unido. Ela usa sua música para empoderar, valorizando a mulher, a negritude, suas origens e misturando elementos típicos do rap americano com características marcantes da cultura brasileira. Seus figurinos e apresentações são um espetáculo à parte. Uma verdadeira lacradora.

Para saber mais: Wikipedia, Site Oficial, Instagram

Aíla

https://www.youtube.com/watch?v=_ms4zu3jiQg

No norte do Brasil, um forte movimento musical vem se firmando, especialmente no Pará. Aíla é uma das expoentes desse movimento. Com um visual forte, a cantora mistura em suas músicas os ritmos do norte do país, como o carimbó e a guitarrada, com elementos do pop, fazendo um som contagiante e dançante, que rodou festivais de todo o país e dividiu palcos com grandes nomes da música brasileira, como Adriana Calcanhoto, Zélia Duncan e João Bosco. Atualmente, circula com o espetáculo O amor é brega, concebido e executado em parceria com a artista visual Roberta Carvalho, enquanto prepara seu segundo disco.

Para saber mais: Site Oficial, Wikipedia, Facebook

Você também pode gostar

0 comentários