Flora Guerra e a Maré Áudio Criativo

por - 15:40

Flora Guerra no estúdio. Foto: Fabiana Leite

Flora Guerra é a pessoa à frente do estúdio Maré Áudio Criativo. Eu a conheci primeiro virtualmente, através de uma pesquisa pro 365 Girls in a Band, e pessoalmente durante a oficina de áudio que ela ofereceu durante a Zona Lamm. Impressionada pela simplicidade com que ela transmite conceitos técnicos - que eu já tinha tentado aprender com vários caras, sem sucesso - ela foi a primeira pessoa com quem pensei em conversar quando tive a ideia de elaborar essa série de entrevistas.

Flora, você é uma das poucas pessoas que conheço no meio artístico que não veio da área de humanas. Me conta um pouco da sua trajetória?

Eu sempre gostei mais e me saía melhor nas matérias de exatas, nunca me imaginei fazendo um curso de humanas. Ao mesmo tempo, minha mãe e meu pai são músicos, estudei piano quando criança, então tive uma formação musical e artística forte dentro de casa. Por volta dos 14 anos, eu descobri que a profissão de Engenheira de Som poderia juntar as coisas que eu mais gostava! Existiam pouquíssimos cursos de graduação relacionadas a áudio no Brasil e ainda são raros, então me formei em Engenharia de Telecomunicações. Paralelamente, eu busquei cursos de áudio de curta duração e fui complementando minha formação. No início da faculdade comecei a trabalhar em um estúdio como assistente e desde então venho trabalhando com áudio.

Você já trabalhava em um estúdio e também já atuava como técnica de som em shows. Por que fundar o Maré Audio Criativo e quais seus planos para o seu estúdio? 

Quando eu saí do estúdio, queria viver a experiência de ser freelancer por um tempo. Mas percebi que para fazer alguns tipos de trabalho seria interessante ter uma empresa, então a Maré foi fundada, o que me permite criar uma rede de trabalho de acordo com cada demanda, seja para trabalhos com publicidade, audiovisual ou música. A Maré é uma produtora de áudio que se modela de acordo com cada projeto. Fisicamente eu trabalho em uma casa/estúdio, onde divido o espaço com outros profissionais da música e do áudio. Meu plano para a Maré é continuar atuando nas várias áreas do som, podendo criar projetos e parcerias novas.

Flora Guerra e a 1ª oficina de Áudio para Mulheres na Autêntica

Você também faz oficinas de montagem de palco para mulheres. O que te motivou a essa iniciativa e como é essa experiência?

A primeira vez que dei essa oficina, foi a convite das mulheres do projeto SONORA - Ciclo Internacional de Compositoras. Eu gostei muito da experiência e desde então ofereci durante a Zona LAMM - Laboratório de Artes Musicais para Mulheres, e na A Autêntica farei a segunda edição no próximo sábado (11/3). Existe uma dificuldade grande de comunicação entre a parte técnica e artística. São áreas bem distintas mas que precisam trabalhar juntas, e percebo que há uma conformidade sobre esse buraco entre os dois lados. O objetivo da oficina é deixar o ambiente e vocabulário técnico mais familiares para as mulheres que trabalham com música, sejam cantoras, instrumentistas, produtoras e DJs.


Quais os maiores problemas que você enfrenta no seu dia a dia de trabalho e quais as experiências mais legais que você tem nesse campo?

O trabalho técnico, principalmente em shows traz várias dificuldades, já que cada dia as condições são diferentes, e podem ser ótimas ou bem ruins. Equipamentos de todo tipo, falta de equipamentos, cumprimento de cronograma, são pontos que podem dificultar bastante. O que eu mais gosto no meu trabalho tem muito também das dificuldades que disse antes. Essas novidades que cada dia trás, me motivam e me divertem muito. Lidar com pessoas de áreas bem diferentes, músicos incríveis, colegas e amigos é um privilégio. Temos pouquíssimas mulheres na área do áudio, e muitas vezes os meus problemas estão relacionados a isso. Assim como em várias outras profissões predominantemente masculinas, para ter a mesma credibilidade diante de outros profissionais é preciso se esforçar mais e ser impecável, e isso pode ser desgastante. Ao mesmo tempo é bom saber que estou muitas vezes quebrando alguns preconceitos existentes no meio, e contribuindo para que a presença de mulheres na profissão deixe de ser novidade.

Profissional e pessoalmente, quem são as mulheres que te inspiram? 

Profissionalmente as mulheres do áudio e da música no mundo me inspiram. São muitas, fortes e talentosas. Ainda temos muito espaço para ocupar, e saber que estamos caminhando juntas me deixa muito feliz. Pessoalmente, minha mãe é de onde eu vim e trouxe muito. Dentre outras mulheres incríveis na vida, vem muita inspiração de lá!

Você também pode gostar

0 comentários