Assista ao clipe de '田中 愛子', single do próximo disco do Cadu Tenório

por - 16:03



O carioca Cadu Tenório tá de disco novo. Mas calma, segura a ansiedade. Corrupted Data蝶とクジラ só vai sair na quarta-feira (15), só que enquanto o álbum não cai na rede, você pode sacar com exclusividade no Altnewspaper o clipe de "田中 愛子", dirigido por Betina Monteiro.  

Corrupted Data蝶とクジラ, primeiro disco que Cadu Tenório assina solo desde o Rimming Compilation, de 2016, é mais do que música. É um site e um livro também. Para entender melhor sobre esse novo projeto, o vídeo de "田中 愛子", conversamos com Cadu Tenório.




O som tá bem diferente do que você mexeu normalmente. O que o pessoal pode esperar desse novo disco?

Legal você ter tido essa ideia de mudança, eu mesmo não considero diferente mas acho que entendo sua impressão, fazia tempo que não lançava um single. É uma faixa prévia que dura menos de 10 minutos (risos). Fazia tempo que não rolava isso também. O novo disco, Corrupted Data蝶とクジラ, assim como tudo que o influenciou guarda muita delicadeza. Podem esperar um disco bastante melancólico, é provavelmente o mais melodioso de todos os meus trabalhos e possui as faixas mais curtas e concisas que já fiz e também algumas das mais longas (risos). Não é um disco curto. E podem esperar algo que não é um disco apenas, foi planejado pra ser uma experiência, pra ser sentido e descoberto, pra ser ouvido mais de uma vez e não necessariamente numa tacada só. É um "disco-site-livro". Vai ser lançado em conjunto com um site, vai ter uma série de textos. É o disco que mais me isolei pra fazer ao passo que é também o disco em que mais precisei das pessoas e em que elas me estenderam a mão com mais carinho. Raul Luna, Betina Monteiro, Henrique Justini, Emygdio, alguns parceiros de longa data outros novos mas todos depositaram sangue na parada, foram de peito aberto. Tem um monte de coisa que não é música nesse trabalho, mas claro, as pessoas podem vir a ignorar todas as palavras faladas e escritas e as imagens e ouvir apenas as músicas se quiserem, mas daí vou lamentar um pouco pois a experiência real está na coisa como um todo.

De onde veio a ideia desse clipe? Foi todo da Betina ou você a orientou em algum momento?

Minha parceria com a Betina é antiga, ela produz vídeos pra músicas minhas há quase uma década. Ela é responsável pelo vídeo de "Anomia" do Sobre a Máquina, por exemplo. Sempre trabalhamos em conjunto, eu dou pra ela um norte, falo sobre a temática, sobre os significados e o que envolveu a composição, nós trocamos ideias e referencias e ela contribui com a vivência dela também. Pra esse disco, aliás, pra esse vídeo em especial eu fui mais fundo nesse direcionamento, já tinha uma ideia fixa na cabeça, um conceito e imagens guia que e ela abraçou, aí ela desenvolveu de um jeito próprio, acrescentando bastante coisa. Acho que não vale a pena explicar muito a respeito. Qualquer coisa que eu possa dizer vai cortar a vibe. Basta dizer que é o conjunto de uma música e um vídeo, pra ser visto, ouvido e sentido (risos). Tudo que envolve o vídeo e a música está em busca de uma vibe, um estado de espírito por assim dizer. Você pode chegar nesse estado apenas com a música, observando ao redor, mas creio que o vídeo complemente um pouco no sentido de que é como se você tivesse essa experiência em terceira pessoa.

Esse é o primeiro trampo que você lança com seu nome desde 2016. Por que esse hiato?

Pois é, estou trabalhando nele desde 2016, por isso a demora (risos). Resolvi que precisava de tempo, fazer um disco com tempo, sem apressar as coisas. Pra achar justo e necessário lançar algo eu precisava que fosse algo tão impactante e instigante - pra mim mesmo - quanto o disco duplo de 2016. Agora no final que rolou o sangue nos olhos pra deixar tudo pronto, textos, site, tenso (risos). Nesse meio tempo tive uns diálogos bem bacanas, acabei pausando um pouco a produção desse disco pra lançar o Vazios parceria com a Bella no incio desse ano que um trabalho que nutro bastante carinho também.

Você também pode gostar

0 comentários